sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Oficina de retrato é a atração de amanhã do 'Sábado com Libras', no Espaço do Conhecimento

O retrato reproduz uma das mais importantes partes do corpo humano, o rosto. Mas, além de representar a face de alguém, a técnica pode ser usada como forma de conhecer uma pessoa e projetar nela suas impressões e sentimentos.
Essa é a proposta da segunda edição da programação de férias do Sábado com Libras, que será realizada amanhã, 14, a partir das 10h30, no Espaço do Conhecimento UFMG. A atividade, gratuita, é destinada a pessoas que estudam ou são fluentes em Libras.
Na primeira parte da oficina Arte com Libras: retrato, os visitantes participarão de brincadeiras em que vão interagir e se conhecer para formarem duplas. Em seguida, com o auxílio da mediadora Kênia Pio Carmo, estudante de Artes Visuais na UFMG, cada um produzirá um grande retrato do colega por meio de técnicas de pintura. Os interessados em participar devem se inscrever pelo e-mail libras.conhecimento@gmail.com.

Com quase dois anos de existência, as atividades do projeto Sábado com Libras têm indicação livre e ocorrem mensalmente no Espaço do Conhecimento UFMG. Astronomia, teatro e expressões artísticas variadas são temas trabalhados nas oficinas direcionadas a pessoas que se comunicam em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Durante o mês de janeiro, o projeto promoverá mais duas oficinas especiais: Teatro com Libras e Corpo e comunicação, respectivamente, nos dias 21 e 28, sempre às 10h30. Mais informações podem ser obtidas no site do Espaço do Conhecimento.
(Com Assessoria de Comunicação do Espaço do Conhecimento)

Para se inspirar!!!


Escrever é uma forma de falar sem ser interrompido.

JULES RENARD

Escritor francês (1864-1910)

My French Film Festival (JAN 13 - FEB 13, 2017)


MyFrenchFilmFestival.com é um conceito inédito que tem o objetivo de apresentar a nova criação cinematográfica francesa e permite aos usuários do mundo inteiro compartilhar seu amor pelo cinema francês. Para sua sétima edição, o festival retorna com novos filmes, novas plataformas parceiras e lançamentos nos cinemas de vários territórios.
 assista e vote!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

BUSINESS NETWORKING 2017 - "Mudando o Jogo"

1º Business Networking 2017
O ano de 2016 já se despediu e o balanço nacional não foi um dos mais animadores.
Sua empresa superou as expectativas em 2016?
Qual o seu planejamento para sair como vencedor em 2017?
As estratégias e parcerias já foram estabelecidas?
Qual é a visão especial que te levará para outro nível?

Se você não soube ou tem dificuldade em responder pelo menos uma dessas questões, então não pode perder a oportunidade de participar desse evento, afinal precisamos mudar o jogo. Com certeza chega um momento que nossa network tem que ser uma verdadeira oportunidade de negócios sadios e prósperos. Venha conosco viver a experiência de novas possibilidades de desenvolvimento e relacionamentos profissionais, uma jornada com vencedores.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

In memoriam

Zygmunt Bauman, sociólogo e filósofo polonês, morre aos 91 anos.

Nove frases memoráveis para lembrar Zygmunt Bauman

Filósofo polonês, morto na segunda-feira (09/01/2017), é considerado um dos principais intelectuais do século XX

Programa de férias CASA DO SABER / SP: Filosofia para Aqueles em Busca de Valores - Valor para canalhas


Filosofia para Aqueles em Busca de Valores - Valor para canalhas


Em Édipo Rei, Sófocles apresenta uma esfinge que se coloca diante dos viajantes e lança o enigma: "decifra-me ou te devoro". A esfinge do mundo atual são os valores. Ou são compreendidos para que cada um assuma as rédeas de própria existência, agindo de acordo com eles; ou então eles devoram cada um, transformando a vida em algo cujos valores são conceitos estranhos, irreconhecíveis. O curso apresenta as maneiras com as quais alguns dos maiores gênios da humanidade pensaram a questão dos valores. Afinal, o que são e para que servem?
Início: 17/01/2017
Duração: 4 encontros
Dias: Terça-Feira, Quinta-Feira, Sexta-Feira
Horário: das 20h às 22h
Valor: 4x de R$180,00

Programa de férias CASA DO SABER / SP: O Cuidar de Si


O Cuidar de Si - Iluminação e cura na Grécia Antiga

A inscrição do Oráculo de Delfos – “conhece-te a ti mesmo” – tornou-se uma das premissas mais famosas de toda a história da filosofia. No entanto, ela faz parte de algo ainda maior: o cuidado de si. 
Fundamentados em estudos e pesquisas de campo nos locais onde se encontravam santuários e oráculos, os encontros apresentam como pensavam e viviam os gregos, notadamente no que diz respeito às noções de iluminação e cura na Grécia Antiga. O curso busca afastar-se de uma noção superficial do que seria ética para aquela civilização e revela um sentido mais amplo dessas ideias, resgatando o teatro, a poesia, a oratória, a música e a atividade física como elementos fundamentais de um pensamento mais abrangente e ancestral sobre o cultivo da alma. 
Início: 16/01/2017
Duração: 4 encontros
Dias: Segunda-Feira, Quinta-Feira
Horário: das 20h às 22h
Valor: 4x de R$180,00
Saiba mais em http://casadosaber.com.br/sp/cursos/ferias/o-cuidar-de-si.html

O desafio de ensinar a cultura brasileira em Kyoto

A experiência de oito professores da Escola de Comunicações e Artes da USP entre estudantes japoneses está registrada no livro “Ponte Cultural”. Sob a organização de Atílio Avancini e fotos de Joel La Laina Sene, a edição traz o relato sensível de ensinar a arte, a língua portuguesa e a história do Brasil. E, ao mesmo tempo, contemplar as cerejeiras e reverenciar a natureza em haicais
São histórias, olhares e impressões diferentes de oito professores da Escola de Comunicações e Artes da USP que viveram e trabalharam na mesma cidade de Kyoto. Em um convênio com a Kyoto University of Foreign Studies (KUFS), realizado entre 2006 e 2015, cada um dos docentes lecionou no decorrer de um ano. Uma experiência que resultou no livro Ponte Cultural: Caminho para intensificar intercâmbio com universidades japonesas. E também na produção de fotos, pinturas, haicais, canções, aforismos que foi reunida em exposições, saraus, seminários e publicações.
A edição está sendo lançada como parte das festividades dos 50 anos da ECA e já está à disposição para consulta nas bibliotecas da USP. “Adentrar o espaço das páginas deste livro é como seguir os passos de cada docente pelos caminhos sinuosos do Japão no jogo simultâneo conflito-encantamento entre  Oriente e Ocidente”, observa o organizador, Atílio Avancini, que foi o primeiro professor a participar do convênio. “O que torna esta obra única, portanto, é a dimensão de ponte cultural pelo relato de experiências didático-pedagógicas de cada autor.”
Os primeiros passos de Avancini em Kyoto não conseguiram chamar a atenção dos alunos até o dia em que entrou na sala de aula com o violão. “Comecei a dedilhar Garota de Ipanema e fui descrevendo a jovem de biquíni em direção ao mar. Os alunos, enfim, ficaram atentos se imaginando sob o sol tropical do Rio de Janeiro”, conta o professor. O clássico de Tom Jobim e Vinicius de Moraes garantiu o ritmo harmonioso das demais aulas e a parceria de Avancini com o professor músico, Shiro Iyanaga. Ambos passaram a compor juntos várias canções. “Eu não sabia que os japoneses gostavam tanto de música brasileira, especialmente de bossa nova.” [...]

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Muros ou pontes? Assim, pergunta 2017.

Muros ou pontes? Assim, pergunta 2017.


Por Alessandra Leles Rocha


Nem concluímos a segunda década do século XXI e o mundo já deu sinais claros sobre a sua necessidade de mudanças. Se avanços têm existido no campo da ciência e da tecnologia, no que diz respeito a sermos humanos o retrocesso parece evidente. O desequilíbrio paira no ar, enquanto buscamos uma compreensão sobre tais descaminhos e até aonde eles irão nos conduzir.
2016 é um marco nesse processo. A desordem, o caos, a incompreensão,... o mundo pareceu estar sob a total inversão da lógica, do bom senso, dos valores humanos. De repente, a humanidade estranhou a si e aos seus comportamentos, em um movimento impactante e de alto valor de ressignificação.  Uma insatisfação tomou conta da ordem social, na medida em que a consciência sobre a perda do protagonismo humano começou a incomodar.  
Sim, 2016 refletiu a verdadeira realidade do homem pós-moderno. A raça humana permitiu a si mesma chegar até o Terceiro Milênio dilapidando os alicerces dos direitos fundamentais da sua gente, em detrimento da loucura desmedida de alguns de seus membros. O espelho do cotidiano refletiu o que não se gostaria de ver: o homem algoz do homem. Dessa forma, retrocedemos aos velhos hábitos e voltamos a construir muros ao invés de pontes.
Distante da paz, 2016 foi tempo de guerra. De todos os tipos. Com todas as armas. Certamente, com o mesmo resultado mórbido e perverso de aniquilação da vida e da própria espécie. Uma exaltação da barbárie, do primitivismo, da incapacidade de coexistir e construir o bem comum. Na escala de prioridades, o ser humano encontra-se no final da fila.
Por isso foi tão difícil. A verdade sofrida e doída não se cansa de repetir pelos 366 dias de 2016. A própria geografia é incapaz de amenizar o impacto, oferecendo a sensação do distanciamento; afinal, é o ser humano na sua dor, na sua angústia, na sua luta pela sobrevivência e dignidade. Então, não dá para ser indiferente, frio, quando poderia ser você a “bola da vez”. Não, não dá para fingir que nada disso está acontecendo.
2016 foi como um rolo compressor que passou por cima das nossas ilusões, dos nossos sonhos, das nossas esperanças. Nua e crua, a verdade esbofeteou nosso rosto até nos tirar da zona de conforto. Não foi um ano daqueles para guardar na memória pelos feitos e conquistas, que se traduziram em alegrias e satisfação.  Fomos sugados até a última gota e depois lançados num pântano movediço. Perdemos o viço, a coragem, o entusiasmo, enquanto nos tornávamos desorientados ou apáticos diante dos acontecimentos.  Algo comparável a um tsunami.
Portanto, 2017 chega com a missão de catarmos nossos cacos e digerirmos tantas lições. O ser humano está de volta ao centro das discussões, buscando resgatar o seu protagonismo social, o que não significa, em absoluto, um mero exercício de poder. O protagonismo nesse caso é viver em razão do e para o ser humano, rompendo com rótulos e distinções que não passam de arbitrariedades e violências improducentes.
Até aqui vivemos nos protegendo uns dos outros, construindo muros que só conseguiram visibilizar cada vez mais a nossa ignorância, a nossa estupidez, a nossa mediocridade; já que, historicamente nenhuma barreira conseguiu impedir a disseminação da violência e da guerra. Cabe a nós, nesse ano que se anuncia, rever esses conceitos e redimensionar nossa visão de mundo, de sociedade, de humanidade.
Então, como estopim dessa reflexão eu compartilho a Fábula do Porco-espinho: Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio. Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor. Por isso decidiram se afastar uns dos outros e começaram de novo a morrer congelados. Então precisaram fazer uma escolha: ou desapareciam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros. Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro. E assim sobreviveram. Moral da História: O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro, e a valorizar suas qualidades.
Pense nisso e faça de 2017 um intenso construir de pontes que unam corações e mentes em favor de um mundo mais justo, mais belo e mais humano. Salve, Salve 2017!

Salve, Salve 2017!

video

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Dia Internacional dos Direitos Humanos



Minicurso: A Arte de Falar e Convencer


Cada vez mais – nos atuais cenários organizacionais, acadêmicos ou políticos – é necessário enfrentar o desafio de falar em público. Fazer alguém acreditar em ideias, projetos, produtos ou serviços, depende de apresentações claras, atraentes, concisas e convincentes, a fim de obter resultados positivos. Para alcançar essa meta, a disciplina tem por objetivo oferecer aos participantes as técnicas, habilidades e estratégias de comunicação a serem utilizadas em suas apresentações de natureza corporativa, acadêmica ou política.
Referências bibliográficas:

·        BARBEIRO, Heródoto. Mídia Training. São Paulo: Saraiva, 2011.
·        BLIKSTEIN, Izidoro. Técnicas de Comunicação Escrita. São Paulo: Contexto, 2016.
·        BLIKSTEIN, Izidoro. Falar em Público e Convencer. São Paulo: Contexto, 2016.
·        CUNHA, Celso. Gramática do português contemporâneo. São Paulo: L & PM Pocket / Lexicon, 2008.
·        DIMITRIUS, Jo-Ellan e MAZZARELLA, Mark. Decifrar pessoas. São Paulo: Alegro, 2000.
·        GARCIA, Othon Moacir. Comunicação em prosa moderna. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2010.
·        MUNTER, Mary. Guide to managerial communication. New Jersey: Prentice Hall, 2014
Início: 19/12/2016
Duração: 4 encontros
Dias: Segunda-Feira, Terça-Feira, Quarta-Feira, Quinta-Feira
Horário: das 19h às 21h
Valor: 4x de R$170,00


Comunicação Não-Violenta em Situações Difíceis - Como transformar sapos em príncipes


O curso apresenta os conceitos básicos da comunicação não-violenta, buscando os caminhos para as melhores atitudes verbais, especialmente em situações difíceis e de conflito insuperável. A metodologia da CNV, se bem aplicada, leva a mudanças de posições e de percepções, possibilitando a negociação de objeções e a resolução de conflitos nas atividades diárias e nos relacionamentos pessoais.

Referências bibliográficas:

ROSENBERG, M. Comunicação Não-Violenta.São Paulo: Ágora 2006;

KENDON, A. Gesture and speech: How they Interact. In J.M.Wiemann &R.P. Harrison (Eds.). Non verbal interaction. Bervely Hills, CA: SAGE, 1983.

Início: 16/12/2016
Duração: 2 encontros
Dias: Sexta-Feira, Sábado
Horário: das 20h às 22h
Valor: 2x de R$170,00
Observações: Sexta-feira, das 20h às 22h, e sábado, das 11h às 13h