quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Filosofia: um jeito especial de se comunicar!


ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA O CURSO “FILOSOFIA NA PRAÇA” – CONHECIMENTO E CIDADE
 

Estão abertas as inscrições para o curso de extensão Filosofia na Praça – Conhecimento e Cidade, oferecido pelo Departamento de Filosofia da UFMG. O projeto tem como objetivos abrir, à comunidade em geral, o acesso à pesquisa filosófica realizada na UFMG, bem como refletir sobre questões filosóficas relevantes da cultura contemporânea. 

As aulas serão ministradas de 9 de março a 22 de junho de 2016, sempre às quartas-feiras, das 19h30 às 21h10, no Espaço do Conhecimento UFMG. O aluno pode escolher matricular-se no curso completo ou em quantos módulos quiser. 

Veja abaixo a programação dos quatro módulos do curso do 1º semestre de 2016, “Conhecimento e Cidade”: 

 Módulo 1 –  A cidade grega

Prof. MARCELO P. MARQUES, UFMG – Março 09 / 16 / 23 / 30

O módulo discute os fatores históricos da formação da cidade grega, a filosofia como um modo de pôr a cidade em questão, a liberdade enquanto questão política e a justiça, em Platão, articulada entre a psykhé e a pólis. 

Módulo 2 – As cidades da cidade

Prof. CARLOS ANTÔNIO LEITE BRANDÃO, UFMG Abril 6 / 13 / 20 / 27

A invenção e a ‘desinvenção’ da cidade. Fundamentos antropológicos da cidade. Cidade, cultura, liberdade e universidade: a cidade como diálogo. A “razão” da cidade. A cidade como dispositivo humanista. A cidade e o urbano. A cidade no Renascimento. Cidade e Felicidade. A cidade em Rousseau e na “sociedade do espetáculo e do consumo”. A cidade e a sociedade contemporânea. O fim da cidade? 

Módulo 3 – Decifra-me ou devoro-te: a cidade, o saber e o poder

Prof. HELTON ADVERSE, UFMG -  Maio 4 / 11 / 18/ 25

A proposta do curso é, a partir da leitura da peça Édipo rei, de Sófocles, examinar alguns elementos da vida política, em especial a natureza do poder e sua relação com o conhecimento. 

Módulo 4 –  O capital contra a cidade

Prof. JOÃO ANTÔNIO DE PAULA, UFMG – Junho 1 / 8 / 15 / 22 

Ao contrário do que é frequente se acreditar, o capitalismo não nasceu na cidade nem foi criado por ela. De fato, o capital nasceu no campo e só com a consolidação da revolução industrial se impôs na cidade. A partir do séc. XIX, a cidade será objeto de permanente disputa entre os interesses do capital e uma diversidade de forças emancipatórias. 
 Para mais informações clique aqui.  
Fonte: Tamira Marinho - Espaço do Conhecimento UFMG





Nenhum comentário:

Postar um comentário